Compensação de Exposição (EV+/-)

Compensação de Exposição (EV+/-)

Você provavelmente já deve ter ouvido falar em Compensação de Exposição, ou pelo menos ter visto um botão ou o símbolo universal para essa função, mas não se arriscou muito a utilizar.
Icone-Compensação-de-exposição
Esse é um recurso muito básico! Inclusive pode ser encontrado em aplicativos de celulares, e você pode estar se perguntando porque eu ainda não havia abordado esse assunto aqui no Foto Dicas Brasil, que é um site voltado a ensinar fotografia para iniciantes, já que faz parte do básico? Simples, esse recurso pode ser resumido em uma frase: Se você precisa de mais luz, compense para mais, se precisa de menos luz, compense para menos.

A questão é que pra você entender exatamente pra que serve a compensação de exposição e, o mais importante, como aplica-la corretamente, você terá que entender funções e técnicas que não são tão básicas assim, e se você domina todas elas, acaba não precisando lançar mão da compensação de exposição.

Percebeu? Então pra quem seria a compensação de exposição? Para iniciantes que ainda não dominam o modo manual, e para aqueles intermediários que até já fotografam no modo manual, mas por várias razões, ainda utilizam alguns modos de cena semiautomáticos como o “P”, “AV” ou “TV”.

A primeira informação importante é que a compensação de exposição não funciona nos modos de cena “Automático”, e nem no Modo Manual, por motivos lógicos já que no primeiro a câmera decide absolutamente tudo por você (o que é péssimo!), e no segundo, é você quem está no controle de tudo (que é o ideal).

Fotometria e Fotômetro

 

Para entendermos o que é a compensação de exposição, precisamos entender primeiro o que é fotometria. Como os assuntos abordados neste artigo já foram escritos por mim de forma mais abrangente e completa, deixarei linkadas as palavras pra você estudar mais.

Bom, Fotometria é a medição da luz na fotografia. Consiste na técnica fotográfica que tem o objetivo de calcular a quantidade da luz que entra na câmera, resultando em uma imagem equilibrada e deixando a foto perfeita, ou seja, “É a quantidade de luz capturada por uma fotografia”.
Já o fotômetro é um aparelho que mede a intensidade da luz, adequando a necessidade específica estipulada pelo fotografo em obter o equilíbrio de luz desejada na fotografia. Existem dois tipos de fotômetros, os embutidos e os externos.

O fotômetro embutido na câmera mede a luz refletida pela cena, calculando a quantidade de luz atingida na pessoa, objeto ou paisagem que está sendo fotografada. Eles são padronizados para calcular e ajustar a imagem para conseguir um tom de cinza médio, que é quando a câmera acredita que esteja correta a exposição.

Exposição-Correta

Caso contrário a sua imagem pode ficar superexposta – com muita luz.

Superxposta

Ou ao contrário, subexposta – com pouca luz.

SubExposta

Cinza 18%

Aqui é onde realmente a compensação de exposição começa a fazer sentido! A sua câmera é projetada para enxergar as cenas como um cinza médio, ou seja, quando sua câmera avalia toda a cena para conseguir uma exposição balanceada (ou “correta”), na “cabeça” da câmera é de 18% cinza, fica fácil entender que isso é um grande problema quando estamos fotografando cenas com poucos contrastes, ou seja, branco no branco, ou preto no preto, porque nossa câmera sempre vai fazer essa medição puxando pro cinza médio, como na foto abaixo em que eu fotografei dois fundos diferentes, um branco e outro preto, nas mesmas condições de luz e no modo automático da câmera.

Modo de Medição

 

Então ela sempre vai puxar a fotometria pro cinza médio? Sim! Mas a forma como ela mede a cena, pode variar de acordo com o Modo de Medição utilizado. Você pode estudar como eles funcionam neste artigo: “Modos de medição”, mas aqui vou abordar o modo matricial que é o padrão da maioria das câmeras e também é o utilizado no modo automático.
Matricial-Artigo-Compensação-de-Exposição
No modo matricial, a câmera irá fazer uma média da leitura da fotometria em toda cena enquadrada, isso significa que se eu tenho um objeto ou uma pessoa com um fundo grande e brilhante como em cenas de neve, você terá 99% de chance da sua neve ficar cinza!
Pés-na-Neve

Botas na Neve – via Shutterstock

 

Nesses casos, a melhor opção é utilizar o Modo de Medição Pontual e escolher um tom neutro da cena, nem preto, nem branco, claro que o ideal seria o tal 18%, mas na ausência dele explicitamente, vale outras cores que possuam tons neutros, o importante é evitar o branco total e o preto total para essa medição.

Como Usar a Compensação de Exposição

 

Já entendemos como funciona a fotometria e como nossa câmera pode medir essa luz, agora vamos entender como a Compensação de Exposição funciona na realidade.
Quando você fotografa alguma cena como as descritas anteriormente, ou seja, com predominância de algum tom muito mais claro ou mais escuro que o cinza médio, a nossa câmera vai interpretar isso de forma errada, e aí nós precisamos dizer pra ela que naquele caso específico, nós queremos que ela superexponha ou subexponha a foto de propósito, por que só assim a fotometria estará correta.

Na maioria das DSLRs, a câmera terá um pequeno botão com um +/- nele. E pressionando esse botão você poderá escolher a compensação de exposição, normalmente se girar algum seletor será possível fazer isso de forma bem simples, mas caso não ache, basta procurar no seu manual aonde se encontra a “Compensação de Exposição”.

0BotaoQ

3BotaoQ
A informação mais importante aqui é que quando girar esse seletor, ele fará isso em “stops”.

STOP

 

Aqui você tem um artigo completo sobre esse conceito: “Pare! O conceito de Stop”, mas porque entender esse conceito é tão importante? Simples, dependendo da Compensação de Exposição que escolher (+ ou -) e do modo de cena que estiver usando (P, AV ou TV), a sua câmera irá escolher um parâmetro diferente para compensar! E caso você não fotografe no modo manual ainda, saiba que tanto abertura, velocidade e ISO, trazem benefícios e malefícios!

E como é feita essa compensação? Em stops, ou seja, cada + ou -, vai representar uma variação de abertura ou velocidade diferente, tomamos como exemplo essa imagem que possuem três fotos que foram feitas exatamente sob as mesmas condições de luz no modo P (Programado – que é aquele modo que sua câmera configura abertura e velocidade e você pode compensar a luz com o ISO).

Quando eu aumento a compensação de exposição em 1 ponto (+1), ele baixa em 1 Stop a velocidade, isso acontece porque quanto mais baixa a velocidade, mais luz eu tenho na minha foto, quanto exatamente? O dobro da anterior!

CompensaçaoFundoBranco3juntas

Repare que a velocidade caiu para 3”2 (mais de 3 segundos!) e como você já sabe, seria impossível conseguir essa foto sem tripé.
E aí você me pergunta? Mas porque você não aumentou o ISO então, que nesse caso, traria um prejuízo muito menor, afinal, essa velocidade é impraticável no dia a dia sem condições especiais de configurações e equipamentos. Simples, eu estou usando um modo semiautomático, desenvolvido para iniciantes que ainda não fotografam no modo manual e por isso, talvez não tenha consciência ainda de opções melhores para fazer.

Eu repeti a mesma foto, nas mesmas condições de luz, só que dessa vez com um fundo preto, e aqui quando eu diminuo em 1 ponto a minha compensação de exposição, a minha câmera aumenta a velocidade em 1 stop, neste caso já seria melhor, visto que velocidades altas não causam prejuízo, mas ainda assim, as fotos possuem baixas velocidades que não seriam possíveis no dia a dia.

CompensaçaoFundoPreto3juntas

Compensação de Exposição nos Modos de Cenas Diferentes

 

Como disse antes, dependendo do modo de cena, a sua câmera escolhe um parâmetro diferente.

Modo Prioridade de Abertura (A ou AV) – No modo de prioridade de abertura, a compensação de exposição altera a velocidade do obturador. Lembre-se que neste modo, você define a abertura e a câmera fixa a velocidade do obturador correspondente. Se você alterar a abertura, a câmera apenas define uma outra velocidade do obturador correspondente, e não há nenhuma mudança no nível de exposição, ou seja, em princípio, não importa o quanto você mexa na abertura, a sua câmera irá sempre usar uma velocidade que dê a mesma exposição. Neste caso, a compensação de exposição te dá a capacidade de alterar a velocidade do obturador (e o valor global de exposição) enquanto permanecer com a mesma abertura que você originalmente havia definido, é como se você obrigasse a câmera a também mexer na velocidade.

Prioridade de Velocidade (V ou TV) – No modo de prioridade de Velocidade a compensação de exposição altera o tamanho da sua abertura. É basicamente o inverso do modo de Prioridade de Abertura. Você define uma velocidade do obturador e a câmera define uma abertura correspondente. Portanto, a compensação de exposição consegue mudar a exposição, permitindo-lhe mudar esse tamanho de abertura.

E essa variação também se dá em Stops! Não vou cobrir neste artigo como se constrói a escala de abertura, é um cálculo bem divertido, mas seria muita informação. Aqui minha dica é que você fique atento que um stop acima (+1) vai te dar um abertura maior (números pequenos) e um stop abaixo (-1), te dará aberturas menores (números de aberturas grandes).
E além da luz que você está escolhendo (mais, ou menos luz), a abertura influencia a profundidade de campo, que resumindo seria quanto maior a abertura, mais fundo desfocado você tem, quanto menor a abertura, mais coisas em foco você terá em sua cena.

No modo Programado (P) – No modo programado, as câmeras que eu testei a Compensação de Exposição, também alteraram a velocidade do obturador. É possível que a sua funcione de forma diferente, ou talvez você possa alterar isso em algum menu. E Tal como acontece com tantas coisas, esta é uma ótima oportunidade para dar uma boa lida no seu manual 😉

Dicas Finais

 

Quando então a Compensação de Exposição pode ser muito útil?

– Quando estiver utilizando algum modo semiautomático e ainda assim precisar aumentar ou diminuir a quantidade de luz.

– Quando estiver fotografando cenas de baixo contraste, com muito branco ou muito preto.

– Quando a sua câmera informar que a fotometria está correta (o fotômetro estiver marcando no zero), e ainda assim a foto estiver clara ou escura demais para o resultado que você pretende obter.

Bom, fique atendo ao modos P e TV quando estiver em baixas condições de luz, porque a câmera baixará a velocidade, por isso, estar com ela estabilizada em algum lugar ou em um tripé, pode ser a diferença.

E no modo AV, escolher mais luz, pode significar mais desfoque da cena, e nem sempre isso é algo desejado, principalmente em fotos de paisagens.

Exemplos Práticos

 

Esses são os resultados da compensação de exposição de uma cena parada no modo P com um tripé e dois fundos diferentes, um branco e outro preto. As 6 fotos utilizaram o modo de medição matricial e você pode estudar nos Exif´s das fotos como os resultados podem ser diferentes quando se compensa em 1 ou 2 pontos de diferença, primeiro pra mais:

1CompensaçaoFundoBranco_FotometriaCorreta_Low

2CompensaçaoFundoBranco_Fotometria+1_Low

3CompensaçaoFundoBranco_Fotometria+2Low

Depois pra menos:

4CompensaçaoFundoPreto_FotometriaCorretaLow

5CompensaçaoFundoPreto_Fotometria-1_low

6CompensaçaoFundoPreto_Fotometria-2Low

 

Conclusão

 

Todos nós queremos ser capazes de assumir o controle total sobre o processo de exposição, mas por razões diferentes, nem todos podemos assumir o modo manual de imediato, por isso saber como funciona a Compensação de Exposição pode ser a diferença entre ter um foto incrível, ou não.

Espero que o artigo seja útil pra você e que lhe ajude em mais um passo na sua jornada fotográfica. Se gostou, compartilhe e deixe sua opinião aqui nos comentários!

Boas Fotos e Vamos Juntos!

AssinaturaPosts_New

Imagem destacada – Kansas City via Shutterstock