12 Dicas para fotografar Esportes

12 Dicas para fotografar Esportes

Quando pensamos em fotografar esportes, logo vem à nossa mente esportes profissionais, jogos oficiais, e todas aquelas imagens incríveis que estamos acostumados a ver quando grandes eventos esportivos acontecem, mas muitas técnicas fotográficas utilizadas nesses eventos por fotógrafos profissionais, podem ser aplicadas também naquele jogo imperdível do seu filho na escola, ou qualquer outro tipo de foto de ação que exige que você congele uma imagem.

Crianças-jogando-Futebol

Crianças jogando Futebol – Via Shutterstock

 

É muito frustrante quando tentamos eternizar um momento que passa muito rápido, e a foto sai completamente borrada! Primeiro precisamos entender porque isso acontece.

Porque as Fotos Saem Borradas?

Fórmula-1

© efecreata mediagroup

Fórmula 1 – Via Shutterstock

 

A primeira coisa que você precisa ter em mente é da importância de se manter parado, afinal, é o motivo da sua foto que está se mexendo, então estabilização é a palavra de ordem, simplesmente porque mesmo em velocidades mais altas e boas condições de luz,  há uma grande chance da foto sair borrada se você se mexer junto com o seu motivo.

Além da estabilização, o segundo motivo que mais borra as imagens são as velocidades baixas, e isso acontece principalmente quando se está fotografando no modo automático, as câmeras (todos os tipos), vão fazer de tudo pra garantir uma iluminação suficiente para a imagem sair, mesmo que isso signifique que você tenha como resultado uma imagem borrada.

Podemos melhorar e muito, nossas possibilidades de excelentes resultados com as próximas dicas!

Dicas para fotografar Esporte

1. Luz

Pólo-Aquático

© A. Ricardo

Pólo Aquático – Via Shutterstock

 

Sim, quanto mais luz, mais chances de conseguir congelar aquela imagem espetacularmente. Eu, particularmente, acho essa dica a mais importante porque nós temos uma tendência natural de achar que precisamos fazer as fotos nas condições de luz que encontramos no ambiente, e isso não é verdade. Uma vez estava vendo as fotos de um amigo fotógrafo que me mostrou uma cena de uma jogador de beisebol congelado em uma corrida, a foto era realmente linda, mas ele também me mostrou as outras 100 fotos que não deram certo, quando eu perguntei o que de tão diferente ele havia feito pra chegar naquele resultado, a resposta foi óbvia e surpreendente, ele disse que depois de inúmeras tentativas dando errado, por causa das condições ruins de iluminação do local – o jogo se passava em um estádio mal iluminado ao entardecer – ele percebeu que toda vez que um jogador passava exatamente embaixo de um dos holofotes, a imagem saía boa, mas a pose não, então ele passou o jogo inteiro apontando somente para aquele ângulo e disparando quando algum atleta passava ali até conseguir a sua foto histórica!

Perceber as variações, e possibilidades, da luz do local quando você não pode controlá-la, é uma das principais habilidades de qualquer grande fotógrafo!

2. Velocidade

Patinação-no-Gelo

© Paolo Bona

Patinação no gelo – Via Shutterstock

 

Se você já sabe fotografar no modo manual, saberá da importância de ter altas velocidades para congelar um movimento, a maioria das câmeras costumam precisar de velocidades acima de 1/100 para conseguirem congelar um assunto com nitidez, e muitos fotógrafos de esportes indicam que para conseguirem resultados realmente incríveis, você deve usar pelo menos 1/500. Você também pode utilizar o modo de prioridade de velocidade – considerando que você está em boas condições de luz – escolha uma velocidade acima de 1/100, acompanhe o motivo com a câmera e faça a foto! Ah, mas eu só posso fotografar esportes em alta velocidade? Não, e veremos mais a frente.

3. ISO

Futebol-Americano

Futebol Americano – Via Shutterstock

 

Ainda no triângulo de exposição e fotografando no modo manual (Abertura x velocidade e ISO), um grande aliado pra conseguir velocidades mais altas é o ISO! Quanto mais alto for o ISO, mais você poderá aumentar sua velocidade, o que pode ser determinante pra esse tipo de foto. Você já deve ter ouvido falar em ruído, essa é a parte ruim de um ISO alto, mas muitas vezes você nem precisa que ele seja tão alto, 400 ou 800 podem trazer aquela luz que falta pra aquela foto que você tanto espera!

4. Foco

Surf

Surf – Via Shutterstock

 

Muitas vezes nossas fotos saem borradas por causa do foco, é preciso focar cada cena que pretendemos congelar, na maioria das câmeras você precisa primeiro apertar o botão do obturador até o meio – fazendo o foco – e depois terminando de apertar o obturador para finalmente capturar a foto.

6. Modo de Foco

Snowboarder

Snowboarder- Via Shutterstock

 

Desligar o seu auto-foco para AF-C – Nikon- ou AI Servo para usuários Canon, permite que você acompanhe o seu assunto enquanto ele se movimenta ao apertar o botão do obturador, ao invés de ter que voltar a focar durante essa movimentação.

7. Modo de Área de Foco (AF)

Remo

Remo  – Via Shutterstock

 

Você também pode querer mudar os seus pontos focais para dinâmico, para torná-lo mais fácil de manter o foco em seu assunto. Dependendo da sua DSLR, pode haver um número grande de opções quando se trata de pontos AF, assim pode ser bem interessante ler sobre sua câmera e descobrir o que irá atender melhor a sua situação. Eu sugiro que seja Foco Central ou Único.

8. Foco no botão traseiro/AF-ON

Escalada

 

Escalada – Via Shutterstock

 

O botão AF traseiro da sua câmera substitui ter que apertar até a metade o botão do obturador para focar. Isto significa que você é capaz de bloquear o seu foco para facilitar a recomposição, deixando-o livre para mover para a esquerda ou para a direita, sem ter que mudar o foco.

Porém, é preciso se acostumar com esta nova forma de ajustar o foco, mas além dos benefícios que tem para a focagem, utilizar esse botão é ergonomicamente muito melhor também. Com o tempo, ela se torna uma maneira muito mais confortável de segurar a câmera, mudando o equilíbrio de peso para fotos potencialmente mais estáveis também!

8. Modo Burst ou Disparo Contínuo

Vôlei

© Muzsy

Vôlei – Via Shutterstock

 

Esse modo é aquele em que sua câmera dispara várias fotos uma atrás da outra enquanto você mantém o botão do obturador pressionado até o fim. Essa pode ser uma grande vantagem na fotografia de esportes. A maioria das DSLRs podem fazer em média de 3 FPS (frames por segundo – ou 3 fotos por segundo) a 8 FPS, mas modelos mais sofisticados como a 7D Mark II chega a fazer 10 FPS. Como o tamanho dos arquivos são potencialmente altos, a sua câmera terá que gravar as fotos na memória até salvá-las no seu cartão de memória, e isso pode ter impacto no tempo que terá que esperar pra ela estar pronta pra fotografar novamente.

9. JPEG ou RAW? 

Salto

Salto – Via Shutterstock

 

Já ouvi vários fotógrafos profissionais de esportes dizerem que fazem suas fotos somente em JPEG, isso acontece porque a câmera consegue passar uma imagem JPEG para a memória da câmera muito mais rápido do que uma imagem em RAW – que são arquivos potencialmente muito maiores – o que dificultaria a rapidez da gravação dependendo do equipamento. Com certeza é um conselho útil, mas para fotógrafos iniciantes, eu acredito ser uma excelente ideia fazer as fotos em raw, ou pelo menos considerar gravar nos dois formatos ao mesmo tempo, se sua câmera permitir.

10. Panning

Fórmula-1_2

© ZRyzner

Fórmula 1 – Via Shutterstock

 

Panning é uma técnica que se utiliza baixa velocidade para conseguir o efeito de movimento como na foto abaixo. Utilizando um modo de foco contínuo junto com o modo burst, você aumenta bastante suas chances de um grande resultado!

11. Estabilizadores

Correndo-na-areia

Correndo na areia – Via Shutterstock

 

Já que estamos falando de baixa velocidade, então precisamos falar de estabilização de imagem! Muitas câmeras DSLRs possuem estabilizadores em seus corpos e isso pode realmente ajudar em fotos mais nítidas. Também existem vários tipos de lentes com estabilizadores de imagem em seus corpos, principalmente lentes zoom, e minha dica é que se você está entre duas lentes, uma com estabilizador e outra sem, vale o investimento nas lentes com estabilizadores, principalmente se você for iniciante.

11. Tripés

Kite-Boarding

Kite Boarding – Via Shutterstock

 

tripé também podem ser seu aliado pra conseguir nitidez com fotos feitas em baixas velocidades ou com lentes zoom, já que quanto maior for o comprimento focal, mais estabilidade é necessário pra se conseguir bons resultados.

12. Lentes

Asa-Delta

Vôo Livre- Via Shutterstock

 

Uma lente zoom (teleobjetiva) é a escolha usual para este tipo de fotografia. Você provavelmente vai querer uma lente que lhe permita obter close-ups da ação, sem ter que chegar muito perto. Se você está iniciando, uma boa pedida é procurar lentes que possuam milimetragem entre de 200-300mm .  A abertura de sua lente escolhida também terá importância, já que muitas lentes zoom possuem aberturas muito pequenas, consideradas escuras, por isso, a luminosidade nesse caso será determinante. Caso possua uma lente zoom com grandes aberturas como f/2.8, suas chances aumentam exponencialmente. Lentes com “estabilização de imagem” embutido também é uma excelente ideia.

Conlusão

Ginástica-Rítmica

© Taranova

 

Ginática Rítmica – Via Shutterstock

 

Ter uma foto de esporte que realmente seja impactante, exige rapidez, perspicácia e muito paciência! Por isso fique muito atento ao redor do motivo da sua foto, escolha exatamente o que quer mostrar, o enquadramento pode ser a diferença de ter ou não ter uma foto top!

Espero que você tenha gostado, e  que este artigo possa ajudá-lo a conseguir fotos que você nunca tirou antes! E você já sabe, compartilhe nos comentários suas dicas, opiniões e resultados! E se achar que o artigo pode ser útil para outros apaixonados, compartilhe nas suas redes sociais, assim você colabora pra que a gente traga cada vez mais conteúdo pertinente para sua jornada fotográfica!

Boas fotos e vamos juntos!

AssinaturaPosts_New

Imagem destacada Natação- Via Shutterstock

 

Telefotos, pra que servem e como escolher

Telefotos, pra que servem e como escolher

Falaremos no texto de hoje sobre lentes, em especial as lentes telefoto. Explicaremos sua funcionalidade e como elas são úteis para fotografar situações específicas, como por exemplo, fotografar esportes. Você deve saber como é complicado fotografar alguém em movimento, competições de corrida ou dança, situações dessa categoria. Será que as lentes telefoto podem te ajudar a ter mais qualidade nas fotografias de esporte?

Telefoto ou teleobjetiva

 

Elas são o mesmo tipo de lente, mas podem ser chamadas dos dois nomes. São lentes especiais que atingem longo alcance e tem a finalidade de aproximar mais o objeto do nosso olhar.

Como funciona

As telefotos conseguem o objetivo porque o comprimento da lente é menor do que a distância focal, que normalmente é de 50 mm.  Elas são perfeitas para fotografar pessoas ou objetos distantes e comprimem o espaço, nos aproximando do que queremos fotografar, visualmente, não fisicamente.

Investimento

Telefotos, pra que servem e como escolher

As teleobjetivas de 300 mm, 400 mm pra cima, são as mais caras, necessitando maior investimento, mas, com certeza, são as melhores para a obtenção do objetivo. Se você for fotografar esportes, shows, ou outro evento que necessitar ficar um pouco mais distante, com certeza vale a compra de uma telefoto de 400 mm. As telefotos também são excelentes para quem é paparazzi.

Situações adequadas

As teleobjetivas são específicas para certas situações, já citadas anteriormente. Para fotografar esportes ou cenas de movimentação, elas são excelentes e devem ser acompanhadas de outros equipamentos.

Pense em uma criança se movimentando, brincando em um parque da cidade. Para fotografar essa situação, o adequado seria uma teleobjetiva de 100 ou 200 mm e de uma abertura grande. Seria necessário um investimento alto e não é todo fotógrafo que é capaz de investir um valor considerável, por isso, algumas dicas são necessárias para que se obtenha um bom efeito sem que seja obrigatório o desembolso de uma quantia alta.

Esportes para fotografar

Telefotos, pra que servem e como escolher

A gente fala em esportes no Brasil e já se pensa em futebol, né? Mas, existem outras modalidades que produzem resultados fantásticos em boas fotografias. Pense em um garoto surfando ou andando de skate ou então em uma corrida automobilística. Você precisará saber o momento ideal para a produção de boas fotografias, por isso é importante que você conheça o esporte e, se possível esteja perto para fotografar com o melhor ângulo. Conheça o candidato mais forte em uma competição e esteja atento a todos os seus lances, a não ser que o concorrente dele seja seu filho 😉

Use teleobjetivas caso você não possa estar perto do assunto a ser fotografado. No caso de esportes, pode ser que você não consiga estar logo atrás do gol ou nas arquibancadas mais próximas, por isso irá precisar de uma ajuda extra. É aí que entram as teleobjetivas.

Com elas você conseguirá captar detalhes mesmo à distância. E o melhor, mantendo a qualidade e não deformando as imagens.

É importante lembrar que são lentes mais escuras do que as outras, muitas começam com a maior abertura em F4.0! E são mais sensíveis aos movimentos, por isso estar com a câmera estabilizada, de preferência em um tripé, é essencial quando estiver usando milimetragens altas.

Mas elas não deixam você perder nenhum detalhe importante. Elas não te deixam na mão mesmo! As teleobjetivas podem ser de 75 e 200 mm e acima desse valor (300, 400, 600 e 800 mm) elas são chamadas de superteles. Com certeza, quanto maior a milimetragem, maior o investimento, mas também, melhor a qualidade.

Escolha da objetivaTelefotos, pra que servem e como escolher

Obviamente, a escolha da objetiva geralmente se dá pelo preço de cada. Por isso, conheça as vantagens de cada uma e avalie o custo x benefício, sim, o famoso, essencial e determinante fator para todas as escolhas em termos de equipamentos que você possa vir a ter, o custo x benefício!

As teleobjetivas de 75 a 200 mm são boas para fotografar assuntos distantes e também retratos, fazendo eles parecerem mais próximos do que realmente estão e também com menor profundidade de campo.

Já as superteles são lentes que possuem 200 mm ou mais e com elas você conseguirá fotografar assuntos muito mais distantes do que as teleobjetivas acima. São excelentes para fotografar celebridades inacessíveis, animais, etc. O que você deseja fotografar parecerá muito mais próximo, mas é necessário, como eu disse, o uso de tripés.

Para as fotografias de esportes, por exemplo, provavelmente você só precisará das lentes telefotos, de até 200 mm. Para que seu objetivo seja atingido, chegue cedo e garanta um bom lugar e, se as cadeiras forem numeradas, adquira um ingresso mais próximo do evento, isso vai te ajudar bastante para conseguir closes realmente incríveis.

Medidas

Para você ter uma noção da real da necessidade de cada lente, uma teleobjetiva de 200 mm aproxima a imagem de você em torno de 4 vezes, enquanto a de 400 mm aproxima o dobro, 8 vezes.

A vantagem das lentes superteles é indiscutível, mas é preciso ficar atento ao valor delas. Avalie sua situação e saiba qual a lente que mais se adequa a sua vida profissional e ao seu bolso, principalmente.

Fator de corte

Não se esqueça de que se sua câmera tem um sensor “cropado”, ou seja, se ela não é uma “Full frame” você ganhará mais zoom ainda com as lentes teleobjetivas, se tem dúvidas como isso influencia, leia o artigo “Fator de corte” para entender melhor.

Estabilizadores

Telefotos, pra que servem e como escolher

 

E por último e não menos importante. São os estabilizadores de imagem que ajudam as teleobjetivas a não tremerem, nas lentes mais populares, as siglas são as seguintes:

Nikon – VR

Canon – IS

Sigma – IS

Tamron – VC

Eu tenho um “causo” de uma aluna minha que comprou uma lente 70-300 mm, mas quis economizar U$100.00 e preferiu o modelo sem estabilizador. Ela deixou a lente comigo durante um workshop e mesmo eu tendo bastante treino em firmar a lente, não consegui fotografar perfeitamente acima de 100 mm sem tremer, mesmo com a câmera apoiada em meu joelho. Provavelmente com um tripé ela se sairia melhor, e eu também, mas a expectativa dela era fotografar na mão mesmo, o que não seria possível em milimetragens altas sem o estabilizador.

A melhor foto que consegui, foi essa aí debaixo que você pode perceber no detalhe que não está nenhuma Brastemp. Ela foi feita com 300 mm e evidentemente o motivo está parado…

Telefotos, pra que servem e como escolher

Aí você até pode pensar, puxa achei que estaria pior, neste caso, não seria um problema pra você uma lente dessas 🙂 Mas acredite, uma boa lente teria um resultado bem melhor em termos de nitidez.

E claro que nunca é demais lembrar que você precisa olhar os reviews das lentes antes de comprar, eu uso o Photozone, é em inglês, mas você não precisa entender absolutamente tudo que está escrito, eles tem um resumo no final no “Sample images & Verdict”, ou seja, “algumas imagens e veredito”, e é justamente este veredito que me interessa, porque é muito objetivo. Eles ranqueiam de 1 a 5 estrelas:

  1. Qualidade ótica – O mais importantes de uma lente.
  2. Qualidade mecânica – Também importante, mas dependendo do caso, não necessariamente o parâmetro determinante pra compra.
  3. Preço e desempenho – O nosso inestimável, custo x benefício.

E porque eu gosto tanto do Photozone? Porque todas as lentes que eu já fotografei, bateram com o reviews dele e isso me dá tranquilidade de usá-los como referência.

Você pode olhar os reviews em outros sites, desde que leia o que está escrito, não se baseie pelas estrelas, por exemplo.  Já vi lente com saldo final de 1 estrela na BH, por exemplo, e quando você vai ver, o ranqueamento baixo é porque um deles é de um cara que ficou chateado porque a Canon não mandou o manual na caixa, o outro é porque um e-mail voltou, sei lá, motivos que não deveriam interferir no ranqueamento do equipamento, mas acaba ficando lá pros mais apressados desistirem. Por isso, acho menos trabalhoso ir para os sites especializados logo.

E para não haver dúvidas…

Um exemplo de uso do review, vou usar a famosa 70-300 mm da Nikon usando uma D7200 ou qualquer câmera cropada. Também estou partindo do principio que você quer saber quais são as opções de lentes pra você. Se você já souber o modelo, é só ir na busca do site.

Neste link você chega à página de reviews de lentes do Photozone.

E lá você vai encontrar os vários modelos de câmeras, e no meu caso vou escolher Nikon DX (APS-C), certo? Porque a D7200 não é full-frame (Full format), se estiver muito na dúvida, as câmeras profissionais, e bem mais caras, são as Full-frames.

  1. Canon EOS (full format)
  2. Canon EOS (APS-C)
  3. Nikon FX (full format)
  4. Nikon DX (APS-C)
  5. Nikon CX
  6. Sony NEX
  7. Sony Alpha (APS-C)
  8. Sony Alpha (full format, A- & E-mount)
  9. Pentax K
  10. Four-Thirds
  11. Micro-Four-Thirds
  12. Samsung NX
  13. Fujifilm X
  14. Leica M

O link irá me mostrar as minhas possibilidades, e agora vou clicar em cima da lente que quero conhecer melhor e aproveito pra deixar o link também da 70-300 mm sem estabilizador.

  1. Nikkor AF 70-300mm f/4-5.6 D ED 
  2. Nikkor AF-S 70-300mm f/4.5-5.6 G IF-ED VR

Você verá que o resultado em estrelas das duas lentes são seguintes:

70-300 mm VR (com estabilizador)

  1. Qualidade ótica – 3 estrelas.
  2. Qualidade mecânica – 3,5 estrelas.
  3. Preço e desempenho – 3,5 estrelas.

70-300 mm (sem estabilizador)

  1. Qualidade ótica – 2 estrelas.
  2. Qualidade mecânica – 2 estrelas.
  3. Preço e desempenho – 2 estrelas.

Assim não fica difícil escolher, né?

E é isso, espero que o artigo tenha te ajudado a entender melhor sobre as lentes teleobjetivas.

Não deixe de compartilhar com a gente as suas experiências e opiniões!

         E hasta!

Assinatura Simxer - Autora do Foto Dicas Brasil