Por Que Eu Levei Oito Anos Para Fotografar Meu Próprio Quintal

Por Que Eu Levei Oito Anos Para Fotografar Meu Próprio Quintal

Olá, hoje trago um artigo diferente. Ele é uma conversa entre o Fotógrafo Vincent J. Musi e sua Editora Elizabeth Krist da National Geographic, e porque eu resolvi trazê-lo pra você aqui no Foto Dicas Brasil? Simples, através dessas conversas você passar ter um entendimento muito maior de como funciona as coisas não só na National Geographic, como na maioria dos projetos Fotográficos.

Se você gosta de fotografar, mesmo que seja só por hobby, em algum momento você deve ter imaginado como seria legal trabalhar pra National Geografic, eu sempre começo meus workshops perguntando aos meus alunos que tipo de fotografia eles gostariam de fazer, e escuto muitas descrições que envolvem nosso imaginário com estes incríveis projetos que a gente sabe que no fundo dão trabalho e demoram, mas não fica muito claro exatamente como se desenrolam.

Este artigo traz muitas dessas lições, mas a principal é: Fotografar leva tempo. Em um mundo onde tudo é urgente, onde as redes socias trazem milhares de fotos na sua timeline, e onde a fotografia digital facilita você fazer centenas de fotos por minuto, a ideia de estudar uma imagem, se dedicar por anos a um projeto fotográfico, pensar 2 vezes antes de clicar, parece surreal, mas acho que esse é a famosa fórmula do sucesso.

Em algum momento alguém me disse que pra se estabelecer na fotografia pode levar de 3 a 5 anos, e isso soa uma eternidade quando se investiu tanto em equipamento e conhecimento, não é mesmo? Bom, o Vicent sabe que às vezes algumas fotos podem levar até 8 anos!

Convido você a ler os email dele e a refletir como isso pode impactar na sua fotografia daqui por diante.

Vamos lá?

Por Que Eu Levei Oito Anos Para Fotografar Meu Próprio Quintal

O fotógrafo Vincent J. Musi passou mais de oito anos trabalhando na história de uma foto da Bacia ACE – que no momento aparece na edição de novembro da Revista National Geographic. E-mails de sua editora, Elizabeth Krist, ajudam a contar a saga sobre por que levou tanto tempo para fotografar seu próprio quintal:

*****

De: Elizabeth Krist
Assunto: ACE
Data: 2/4/12

Alguma inspiração? Eu fico apenas pensando: nós soltamos um perfeccionista obsessivo no meio de um pântano…

E

*****

Às vezes você não pode apenas seguir de um lugar para o outro.

Eu trabalhei ao redor do mundo para a revista National Geographic, mas a tarefa mais difícil para mim foi a apenas 80 quilômetros de minha casa.

No verão de 2006, eu recebi o compromisso de criar um portfólio celebrando a Bacia ACE da Carolina do Sul. Este é um lugar especial onde três rios e uma comunidade se unem para preservar uma das últimas grandes bacias hidrográficas.

Musgo espanhol e carvalhos localizado uma hora de carro da minha casa na Carolina do Sul.

Musgo espanhol e carvalhos localizado uma hora de carro da minha casa na Carolina do Sul.

Nos oito anos da proposta original até a publicação final na edição de novembro, o projeto deve ter um recorde do maior tempo na agenda na revista.

Agora, a culpa não é só minha, alguns problemas surgiram. Eu fui afastado por pelo menos seis outras histórias que os editores acreditavam serem mais importantes. Ainda assim, em uma tentativa de entender por que isso demorou tanto, eu retracei os últimos oito anos em e-mails da Editora Fotográfica Veterana Elizabeth Krist. O que vem a seguir é bem unilateral, editado para ficar mais breve e fazer com que eu pareça legal.

Eu acumulei uma coleção de lentes e equipamentos na sua maior parte do século 19. Trabalhar com equipamentos de grande formato vintage e filmes modernos foi a minha primeira ideia de como dar ao ensaio um olhar diferente. Claro, eu não sabia nada sobre estes equipamentos, eu só queria ser como a fotógrafa  Sally Mann na cor.

Eu acumulei uma coleção de lentes e equipamentos na sua maior parte do século 19. Trabalhando com equipamentos de grande formato vintage e filmes modernos foi a minha primeira ideia de como dar ao ensaio um olhar diferente. Claro, eu não sabia nada sobre estes equipamentos, eu só queria ser como a fotógrafa Sally Mann na cor.

 

 

De: Elizabeth Krist
Assunto: ACE
Data: 10/25/06

Ei, adivinhe só? A Bacia Ace está agendada para julho de 2008, com o layout feito até 1° de janeiro de 2008. Quais são as melhores estações para você fazer uma saída de campo? Talvez nós possamos fazer uma reunião no início do próximo ano?

Elizabeth

*****

Paisagens nunca foram um dos meus pontos fortes. No que eu estava pensando? Eu precisava de tempo para me recompor e criar uma abordagem estilizada. Ao mesmo tempo, a Editora Fotográfica Kathy Moran estava me ligando sobre outra história e eu queria saber do que se tratava.

2008. Falha total com câmeras de visualização 4 × 5. Dupla exposição involuntária e descoberta do buraco na cortina do obturador que representa um "OVNI" no canto superior direito.

2008. Falha total com câmeras de visualização 4 × 5. Dupla exposição involuntária e descoberta do buraco na cortina do obturador que representa um “OVNI” no canto superior direito.

De: Elizabeth Krist
Assunto: ACE
Data: 9/12/2007

Você já começou a fotografar? Só estou curiosa…

eliz

*****

Essa história sobre a qual a Kathy estava me ligando se tornou um projeto enorme. Isso mudaria a minha vida e me manteria compromissado por quase um ano fazendo retratos de animais muito famosos.

Foram muitas viagens. Eu fui até a Inglaterra para fotografar um corvo; Califórnia para um peixe; e até a Áustria para fotografar um sagui que urinou em mim.

Ainda assim, eu não conseguia ir até Green Pond, S.C. nem se minha vida dependesse disso. E na verdade, a ideia de desviar de cascavéis e pernilongos do tamanho de pássaros estava longe na minha mente. Quando eu cheguei em casa, eu queria passar um tempo com a minha família, me recuperar, e tirar o cheiro daquele sagui das minhas roupas.

A única boa imagem que eu fiz com a câmera grande formato era de Charles Lane, um assistente e guia em minha primeira viagem. Mudei-me para o formato digital, logo após.

A única boa imagem que eu fiz com a câmera grande formato era de Charles Lane, um assistente e guia em minha primeira viagem. Mudei-me para o formato digital, logo após.

De: Elizabeth Krist
Assunto: ACE
Data: 7/16/2008

Olá, nós estamos agora na edição de maio de 2010! Então a pressão acabou.
Se você terminar mais cedo, eu tenho certeza de que eles passaram para cima novamente, mas desta forma você pode fazer isso no seu próprio ritmo…

eliz

*****

A Editora Fotográfica Sadie Quarrier agora me fez fotografar um sítio arqueológico cujo nome nenhum de nós conseguia pronunciar na Turquia.

Escrevendo para a Elizabeth de lá, eu vi as colunas do meu quarto de hotel no quarto andar balançando e tremendo.

Queimada Controlada. Ernest F. Hollings ACE Bacia Wildlife Refuge.

Queimada Controlado. Ernest F. Hollings ACE Bacia Wildlife Refuge.

De: Elizabeth Krist
Assunto: ACE
Data: 9/23/2009

Um TERREMOTO??? Que bom que você não foi engolido, Vinnie.

[Diretor de Fotografia] Kurt [Mutchler] me perguntou hoje sobre a Bacia Ace. Eu falei para ele que você tinha visitado o campo para testar equipamentos e brincar com estilos, técnicas, etc., mas que você não tirou nenhuma foto ainda. É isso mesmo? Eu acredito que você vai querer fazer várias pequenas viagens no próximo ano? (Não só uma viagem longa) Nós falamos sobre 1° de maio ser a data final, mas eu posso mudar isso conforme nos aproximarmos, se você achar que precisa de mais tempo.

eliz

*****

Não parecia que três anos haviam passado, mas talvez seja porque eu fiquei muito fraco após esta última viagem à Turquia, onde nós passamos um tempo com uma família de pastores curdos seminômades.

Então, o Departamento de Saúde da Carolina do Sul ligou para me dizer que eu havia sido diagnosticado com giardíase. Eles queriam saber onde eu podia ter contraído isso.

Nascer do sol no rio Edisto. O rio de águas negras mais longo e sem barragens na América do Norte.

Nascer do sol no rio Edisto. O rio de águas negras mais longo e sem barragens na América do Norte.

De: Elizabeth Krist
Assunto: ACE
12/8/2010

Boas notícias!
A Bacia Ace foi movida para outubro de 2012.

*****

Viagens recentes para a Sibéria, Cazaquistão, Noruega, São Petersburgo, Rússia, Edimburgo, Escócia, Indiana, Nova York, Flórida, Minnesota, Colorado, França, Inglaterra, Turquia… todos os lugares menos a Bacia ACE.

Esta fotografia do jovem JD Cate e seu cão depois de uma caçada à patos manteve o projeto vivo para mim e talvez para os editores também.

Esta fotografia do jovem JD Cate e seu cão depois de uma caçada à patos manteve o projeto vivo para mim e talvez para os editores também.

De: Elizabeth Krist
Assunto: ACE
Data: 3/30/11

Eu devo avisá-lo sobre uma coisa, apesar de eu realmente não querer, eles falaram que podem matar a história se nós não tirarmos as fotos até o final do ano. Eu fico repetindo o fato de que você está muito ocupado, porque eles ficam lhe enviando para outras histórias, e que a paisagem é atemporal.

Mas, estou só dando um aviso…

E

Botany Bay Island

Botany Bay Island

De: Elizabeth Krist
Assunto: ACE
Data: 2/17/12

Meu sentimento de que você está vindo para mostrar a Ace é a melhor garantia de que ela não será morta…

Piloto Roger Medlin nos rebocando na da pista em uma de nossas tentativas fracassadas.

Piloto Roger Medlin nos rebocando na da pista em uma de nossas tentativas fracassadas.

De: Elizabeth Krist
Assunto: ACE
Data: 6/24/2013
Me desculpe por incomodar, mas você finalizará a ACE até 1° de outubro? OBRIGADA,

E

*****

A última coisa que nós precisávamos para completar o ensaio era uma foto aérea, e isso era a última coisa que eu queria fazer. Fotos aéreas são um ato delicado de equilíbrio do tempo, orçamento e persistência.

Você espera, torce, planeja, falha; repete.

Eu encontrei um piloto disposto e uma aeronave disponível, então isso se tornou um jogo de espera ao longo de vários meses. Na primeira noite, a luz estava ótima, mas nós fomos pegos em uma grande tempestade elétrica e tivemos que voltar.

E então, começou uma série de problemas, onde o avião falhava de alguma forma, podia ser o gerador ou um curto circuito nos aparelhos.

Eu não estava feliz com o que eu tinha, mas eventualmente eu compartilhei minhas últimas tentativas com a Elizabeth em uma tentativa desesperada de ganhar mais tempo.

16/10/2013. 17:25 Poucos minutos depois, quando a luz começou a ficar melhor, tivemos que sair e voltar para o aeroporto quando o avião quebrou novamente. Eu nunca mais voltei.

16/10/2013. 17:25 Poucos minutos depois, quando a luz começou a ficar melhor, tivemos que sair e voltar para o aeroporto quando o avião quebrou novamente. Eu nunca mais voltei.

De: Elizabeth Krist
Assunto: ACE
Data: 11/20/2013

Eu adorei a foto de baixo. Você tem certeza de que precisa subir de novo?? Eu acho que você deveria parar agora. É sério!
E

*****

Na minha cabeça, eu não havia terminado completamente o projeto, mas após oito anos, a história “Legado de Lowcountry” apareceu na edição de novembro de 2014 da revista. Estuary, uma exibição retirada do projeto, pode ser vista de 21 de outubro a 30 novembro na Charleston Library Society em Charleston, Carolina do Sul.

Mais Fotos Finais do Projeto Bacia ACE

 

Milhares de pelicanos marrons encontram um lugar seguro para se aninhar em Deveaux Bank, um dos maiores viveiros de Pelicanos na costa atlântica. livre de guaxinins e outros predadores que comem ovos e filhotes.

Milhares de pelicanos marrons encontram um lugar seguro para se aninhar em Deveaux Bank, um dos maiores viveiros de Pelicanos na costa atlântica. livre de guaxinins e outros predadores que comem ovos e filhotes.

Palmitos sucumbem ao mar em Botany Bay Plantation, uma parada obrigatória para observadores de aves, pescadores, e tartarugas marinhas. Como a maré , o desenvolvimento afirma cada vez mais o valor da Bacia ACE para pessoas, bem como para o crescimento da vida selvagem.

Palmitos sucumbem ao mar em Botany Bay Plantation, uma parada obrigatória para observadores de aves, pescadores, e tartarugas marinhas. Como a maré , o desenvolvimento afirma cada vez mais o valor da Bacia ACE para pessoas, bem como para o crescimento da vida selvagem.

Queimada controlada para remover vegetação indesejável, estimular o crescimento, e liberarem sementes para a vida selvagem.

Queimada controlada para remover vegetação indesejável, estimular o crescimento, e liberarem sementes para a vida selvagem.

Névoa acentua a quietude de um pântano de água doce.

Névoa acentua a quietude de um pântano de água doce.

Escravos cultivavam arroz nestas zonas úmidas até a Guerra Civil, em seguida, os nortistas ricos compraram muitas plantações para a caça e retiro. Hoje, águias e cegonhas de madeira encontra aqui seu refúgio.

Escravos cultivavam arroz nestas zonas úmidas até a Guerra Civil, em seguida, os nortistas ricos compraram muitas plantações para a caça e retiro. Hoje, águias e cegonhas de madeira encontra aqui seu refúgio.

Aves pernaltas, martas, e jacarés vivem em pântanos de maré.

Aves pernaltas, martas, e jacarés vivem em pântanos de maré.

"A Bacia do ACE é um quebra-cabeça", diz biólogo Dean Harrigal em um dos seus muitos habitats. Wetlands fornece alimentação e áreas de descanso para as aves aquáticas, vistos aqui através de gramíneas.

“A Bacia do ACE é um quebra-cabeça”, diz biólogo Dean Harrigal em um dos seus muitos habitats. Wetlands fornece alimentação e áreas de descanso para as aves aquáticas, vistos aqui através de gramíneas.

No emblemático Lowcountry da Carolina do Sul, carvalhos prosperam em Wildlife Management. A área é um dos quatro na bacia  para a fauna e recreação ao ar livre.

No emblemático Lowcountry da Carolina do Sul, carvalhos prosperam em Wildlife Management. A área é um dos quatro na bacia para a fauna e recreação ao ar livre.

A maré alta e uma lua cheia mostra caranguejos-ferradura em terra para desovar em Harbor Island. Os caranguejos são "extremamente importante" para os seres humanos, diz o biólogo Al Segars. O seu sangue é utilizado para assegurar que as vacinas e dispositivos médicos sejam esterilizados.

A maré alta e uma lua cheia mostra caranguejos-ferradura em terra para desovar em Harbor Island. Os caranguejos são “extremamente importante” para os seres humanos, diz o biólogo Al Segars. O seu sangue é utilizado para assegurar que as vacinas e dispositivos médicos sejam esterilizados.

Vincent J. Musi vive em Sullivan’s Island, S.C., e sempre foi bom com sua mãe quando ela gostava de suas fotografias. Veja mais deste trabalho em seu website.

Gostou? Tinha uma ideia diferente? Se aventuraria a ser um fotógrafo da Natoinal Geographic??

Eu adoraria 😉

Bons estudos,

Assinatura Simxer - Autora do Foto Dicas Brasil

 

Link Original aqui.