14 Acessórios Fotográficos Para Quem Está Iniciando

14 Acessórios Fotográficos Para Quem Está Iniciando

Um dos primeiros desafios para quem está iniciando na fotografia, definitivamente é saber escolher sua câmera fotográfica, depois é dominar os principais conceitos fotográficos para justificar a câmera e conseguir resultados significativos!

E então vem a famosa pergunta: “O que mais preciso para conseguir realizar sempre as fotos que quero?”. A resposta pode estar justamente nos acessórios fotográficos, alguns podem ser imprescindíveis para o resultado que se quer, e outros podem ser complementares.

Não estou me referindo ao conceito de acessório onde nos remete a ideia de deixar algo mais bonito. Aqui prefiro o conceito do acessório que ajuda não só a tornar a experiência bem melhor, como muitas vezes são determinantes para um resultado de alto nível.

Na minha opinião, todos os acessórios são importantes para uma experiência fotográfica melhor, e vou separar pelos principais, aqueles que você realmente vai ter que investir para ter o mínimo de resultado, e os complementares que ajudarão no resultado final, principalmente para os iniciantes.

Principais Acessórios Fotográficos

 

 1. Lentes

Lentes

lentes via Shutterstock

 

Mesmo sendo considerado um acessório, já que nas câmeras DSLRs você pode trocar quantas quiser, a lente é o mais importante e determinante para uma boa foto, claro que isso também vai exigir de você um conhecimento para uma melhor escolha, por isso recomendo que leia o artigo “Evite os 10 Erros Mais Comuns na Hora de Comprar uma Lente” que além destas dicas, está com links para vários artigos sobre o assunto que serão muito úteis pra você.

A escolha da sua lente principal, a que irá complementar ou substituir a atual, vai depender basicamente qual estilo fotográfico você pretende abraçar, ou até mesmo se ainda pretende fazer muitos teste até finalmente decidir.

Minha principal dica pra quem está iniciando, e quer testar todas as possibilidades, é investir em lentes com ranges grandes e versáteis como a 18-135mm ou 28-135mm para câmeras Canon, ou 18-105mm para câmeras Nikon. São lentes que vão te permitir muitas técnicas antes de realmente sentir falta de algo mais específico.

Quando eu comprei minha primeira câmera semiprofissional, consegui que o vendedor trocasse a lente do kit por uma com um range muito maior (dica na época de um amigo fotógrafo profissional), e isso foi o melhor custo x benefício que eu poderia ter conseguido, por mais que pareça caro a primeira vista, já que você pode pensar que não precisa de uma lente dessas no início, acredite, se gosta de fotografar, vale a pena porque você aumenta as chances de resultados melhores e também de não se frustar por não conseguir certas fotos por causa do alcance “limitado” da sua lente, e assim continuar nesta incrível jornada fotográfica.

Tem alguma desvantagem nisso? Sim, quanto maior o range, menos qualidade ótica, com exceção para lentes em que o preço costuma ser bem alto. A qualidade mais baixa se dá porque a lente precisará de vários elementos dentro dela para conseguir um range maior, mas não se preocupe, até nós conseguirmos enxergar essa diferença, já estaremos mais que aptos para escolher outras lentes com segurança.

2. Flash

Flash

Flash via Shutterstock

 

Sim, o flash é um dos principais acessórios dependendo do tipo de foto que pretende fazer, ou em que horário pretende fazer! O que eu percebo entre os meus alunos é que existe um conflito natural quando estamos começando na fotografia e temos muitas dificuldades para se conseguir luz para realizar uma boa foto. Eu considero que a forma mais importante para se ter um bom resultado é dominar a fotometria, assim o uso do flash passa a ser opcional no início.

Quando eu preciso de luz, tenho 3 formas de se conseguir: A primeira é com uma abertura grande na minha lente, como você já sabe, quanto maior a abertura (números F pequenos), maior fisicamente é o buraco que passa luz para o meu sensor, e evidentemente, mais luz eu tenho para a minha foto. Acontece que a maioria das lentes que vem nos Kits (câmera + lente), são consideradas escuras e possuem abertura de f/3.5.

Bom, então eu tenho uma câmera com uma lente de abertura f/3.5 e quero fotografar à noite, o que me leva à segunda coisa que preciso que é configurar o modo manual e assim equacionando a minha abertura com a velocidade e o ISO, posso melhorar consideravelmente esse aspecto, o que já vai me permitir um custo x benefício incrível, visto que na maioria das condições eu não precisarei investir em um flash porque já estarei dominando a luz como preciso. Então o flash entra quando nenhuma das duas opções acima pode resolver o seu problema e aí ele torna-se um acessório muito importante.

Este artigo que escrevi sobre flash “Guia Para Iniciantes: Como Escolher um Flash?” vai ajudá-lo a entender melhor sobre as tecnologias existentes e como elas podem ser úteis para sua foto.

E só para deixar bem claro, se você compra um carro (câmera) e não sabe dirigir (fotometrar), provavelmente terá que pedir sempre alguém (Flash) pra te levar onde precisa ir, mas quando você aprender a dirigir, vai ficar infinitamente mais confortável e fácil e pedirá ajuda somente quando realmente for necessário, e assim garantir os resultados que você quer.

3. Tripé

Tripé

Tripé via Shutterstock

 

Eu considero o guarda-chuva da fotografia. Pra carregar é complicado, tem grandes chances de você esquecer em algum lugar, mas quando você precisa, ele é insubstituível! Essencial para vários momentos fotográficos, realmente vale a pena ter um tripé para garantir aquelas fotos onde estar com sua câmera totalmente estabilizada é determinante para o resultado, como fotografar com muito zoom, ou em baixas condições de luz, por exemplo.

Dá pra improvisar? Sempre dá, pode colocar em cima de uma mesa, de uma cadeira, mas se você quiser ter resultados com mais segurança, o tripé é a solução. Existem vários tipos e este artigo “Tripés – tipos e usos” pode te ajudar a escolher um.

Se você está se perguntando se mesmo sendo um iniciante, precisará de um tripé, minha resposta é: Sim.
Além do uso óbvio dele, você pode aproveitar pra incrementar o ângulo da sua lente! Como? Simples, às vezes precisamos, ou queremos, fotografar uma paisagem ou a decoração de uma festa e nossa lente tem um alcance curto. Minha dica é que você pode colocar sua câmera em um tripé, fazer várias fotos em vários ângulos e depois juntá-las no Photoshop. Em breve trarei um artigo explicando passo a passo esta técnica pra você.

Ah, outra dica: Se você for fotografar com uma lente que possui estabilizador, lembre-se de desligar essa função quando utilizar o tripé, do contrário a câmera tentará compensar um movimento que não existe e sua imagem sairá borrada mesmo utilizando o tripé.

5. Case ou Mochila?

case

Case via Shutterstock

 

Outro acessório indispensável. Eu sei que vários kits fotográficos já incluem pelo menos um case, mas normalmente não é a mesma coisa do que uma mochila especializada, com compartimentos especialmente concebidos para viagens, longas caminhadas e condições severas de chuva, por exemplo. No mercado existem cases e mochilas para todos os gostos, eu uso uma Lowepro que é uma excelente marca. O meu modelo é bem pequeno, permite que eu mantenha somente o essencial dentro dele, e com isso evito riscos desnecessários. Mas existem outros modelos com excelente custo x benefício como a linha Flipside (200, 300, 400 ou 10L e 15L) que eu também gosto muito.

O importante é você escolher um modelo que vá te acompanhar. Se pretende investir em mais lentes, flash externo, entre outros, escolha um modelo que vai poder acondicionar esses itens quando você adquiri-los, eu mesma tive que comprar outro case, um gasto que poderia ter sido evitado.

Eu, particularmente, também dou preferências às mochilas, já que ajudam a dividir o peso e facilitam o transporte 🙂

Acessórios Fotográficos Complementares

 

6. Bateria Extra

Bateria2

Bateria via Shutterstock

 

Não tem coisa mais desagradável do que ficar sem bateria no meio de uma passeio, viagem, evento, ou qualquer outro momento onde existe a real possibilidade de você fazer a sua foto épica! E para que isso não ocorra, é mais do indicado que você adquira uma segunda bateria, principalmente se costuma fotografar visualizando todas as fotos no LCD ou se utiliza o modo “burst” (modo de disparo onde são feitas várias fotos seguidas), ou ainda fotografa em raw.

As câmeras mais recentes costumam ter baterias que duram mais, e quanto mais avançada sua câmera, mais durará também a sua bateria. A grande vantagem é que muitos modelos de baterias DSLRs, não descarregam quando não estão em uso, então é sempre uma boa ideia manter uma guardada, e cheia, para eventualidades.

Mas lembre-se, outro cuidado muito importante é adquirir baterias originais, nada de chinesas ou de origem desconhecidas que podem ser falsificadas, onde o menor problema é durarem menos, elas trazem o risco de prejudicarem seu equipamento.

7. Grip de Bateria

E já que o assunto é bateria, outro acessório incrível é o Grip de Bateria, que permite vários modelos de DSLRs, trabalharem com duas baterias ao mesmo tempo. Excelente investimento, principalmente pra quem pretende ou já está trabalhando profissionalmente.

Nas câmeras de entrada Canon, os Grips permitem a utilização de 2 baterias simultâneas, já nos modelos semiprofissionais e profissionais, tanto da Canon como da Nikon, existe a possibilidade de se trabalhar também com 4 pilhas, ou seja, não tem como ficar sem energia!

Lembrando que a Nikon não disponibiliza Grips para suas câmeras de entrada, mas existem genéricos no mercado que podem ser utilizados sem problemas.

8. Eliminador de Bateria

Eliminador-de-bateria

Se você gosta de filmar, ou estiver fazendo algum projeto fotográfico dentro de algum local que possua tomada, a pedida é um eliminador de bateria. Existem modelos diferentes, mas todos possuem a mesma função, ou seja, poder ligar a câmera direto na tomada e assim eliminar o estresse de ficar sem energia.

9. Pilhas Recarregáveis e Carregador

Pilhas

Pilhas via Shutterstock

 

Já no caso das pilhas indico as recarregáveis, é claro, e quanto maior a sua amperagem, medida por mAh, mais duram. Na minha experiência, vale o investimento nas de amperagem de 2.500 e 2.700 mha, pode ser da Sony, Eneloop ou Lenmar, essas eu já usei. Mas fique de olho, compre sempre em um lugar confiável, já vi muita pilha pirata que não dura nada, inclusive de amperagem que não existe!!

carregador

Carregador via Shutterstock

 

Não separei o carregador como outro item, porque você não tem como comprar pilhas recarregáveis e não investir nele também. Minha dica aqui é fazer um investimento naqueles que mostram que a pilha já está carregada, por que existem modelos mais simples que não tem essa função (muitas vezes possuem uma luz que nunca apaga!). Eu já disse em outro artigo que uso o BC-700 da La Crosse Technology que tem várias características e possibilidades de carregamento que são vitais pra quem está sempre usando muitas pilhas, a principal dela é você poder visualmente identificar a carga de cada uma e carregá-las somente o que precisa, além de funções como zerar a pilha e recarregar vários ciclos, aumentando assim a vida útil delas, ou seja, um “canivete suíço”  das pilhas.

No meu caso, foi uma necessidade por causa do uso profissional, talvez não seja o seu caso, mas existem outros modelos vendidos aqui no Brasil que possuem a função de carregamento individual, que eu considero importante.

10. Filtros Fotográficos

Filtro-fotográfico

Filtro Fotográfico via Shutterstock

 

São acessórios que, acoplados às câmeras, criam efeitos especiais nas fotos, alterando os controles de luz, cor, ou até mesmo como proteção para a lente. Eles são feitos de gelatina, vidro, cristal ou plástico e na maioria das vezes são circulares.

Existem vários tipos e você pode estudar mais lendo este artigo “Filtros fotográficos, o que são e pra que servem?“.

Eu recomendo que você tenha pelo menos dois: Um filtro polarizador que te ajudará a melhorar o contraste do céu na hora de fotografar paisagens e evitar reflexos indesejados, e um filtro UV que também possui a finalidade de proteção, mas com um adicional de impedir a captação dos raios ultravioleta pelas lentes da câmera, o que poderia alterar as cores das paisagens na fotografia, por exemplo.

11. Para-sol

O Para-sol, ou lens hood, é um acessório clássico, leve e que não ocupa espaço em sua mochila e foi feito para que você mantenha ele fixo em seu equipamento fotográfico e na posição de uso! Ele será seu melhor aliado para evitar luzes indesejadas, seja do sol ou artificial, como os flares (luz espelhada ou refletida dentro da objetiva ou do corpo da câmera. Causa manchas de cintilação, degradando os detalhes nas sombras) ou reflexos.

Imagem Phil Steele

Imagem Phil Steele

Os modelos do tipo Tulipa ( flor, pétala ou corola ) servem para lentes grande angulares como uma lente 18-55mm, por exemplo, enquanto os Cilíndricos  são para lentes zoom de distâncias focais variáveis. Quanto mais longa a distância focal, mais longo é o para-sol para aumentar sua eficiência.

para-sol

Verifique no manual da sua lente qual para-sol é o mais adequado. Além das variações de tamanhos e materiais, os encaixes com a lente e os diâmetros também variam . E quando comprar uma lente, verifique se o para-sol já vem junto. Existem diversos fabricantes de para-sóis genéricos e o preço é menor, mas antes de comprar, preste atenção se a firmeza e o encaixe na lente são bons, de preferência compare com os para-sóis da mesma marca da lente.

12. Cartão de Memória

Cartões-de-memória

Cartões de memória via Shutterstock

 

É sempre bom ter mais de um cartão de memória, a dica aqui é procurar um que tenha uma classificação de alta velocidade, como Classe 10 ou Ultra High Speed na embalagem. A maioria das câmeras usam cartões SD, mas é mais seguro confirmar antes de comprar, basta saber o modelo da câmera e procurar na internet ou no seu próprio manual.

13. Leitor de Cartão

leitor-de-cartão

Leitor de cartão via Shutterstock

 

Uma das grandes vantagens de se utilizar um leitor de cartão, é manter em segurança sua câmera, já que você não precisará conectá-la ao computador para fazer a transferência das fotos, e a segunda, é que dependendo do leitor, esse transferência e muuuuito mais rápida, já que as tecnologias avançam cada vez mais nesse sentido.

Minha dica é realmente investir em um modelo recente e que seja capaz de ler as mais variadas tecnologias dos cartões de memória, assim você fica tranquilo na hora de fazer a sua transferência ou o importantíssimo backup das suas fotos.

14. Disparadores remotos

Disparador-remoto

Você já sabe que para ter fotos mais nítidas, você precisa que sua câmera esteja sempre firme, seja no tripé, na superfície plana ou em suas mãos treinadas, e muitas vezes você também precisará configurar o disparo para que ele dispare automaticamente. Existem vários estilos fotográficos e técnicas em que isso é essencial para o resultado, como fotografar estrelas, feixes de luz, entre outros. Nesses casos, se você for disparar manualmente, o disparador irá tremer, pois você empurrará a câmera para baixo, e o que acontece é que, em velocidades baixas, como abaixo de 1/30, por exemplo, o menor movimento já influenciará na nitidez das fotos. Por isso, utilize um disparador remoto ou simplesmente programe o timer (ou temporizador) temporizador de seu equipamento. Mas lembre-se de procurar um disparador de acordo com seu equipamento (câmera e modelo). Existem disparadores com cabo, sem fio, e ainda tem aplicativos para celulares que também conseguem disparar a câmera remotamente, no estilo do Bluetooth Smart Trigger.

Conclusão

Camera-Lens

Camera Lens via Shutterstock

 

Bom, existem muito outros acessórios, gadgets fotográficos e apetrechos para sua câmera fotográfica, e na sua maioria são destinados a técnicas bem mais específicas de fotografias ou somente para deixar sua câmera mais descolada. Minha intenção é ajudá-lo naquilo que realmente te trará resultados cada vez melhores.

Eu costumo comprar meus acessórios na Paixão Câmeras, é uma loja aqui do Rio que recomendo! O atendimento e o compromisso com a qualidade faz valer qualquer investimento!

Espero que você tenha gostado da minha seleção, por isso, não deixe de compartilhar sua opinião nos comentários, isso me ajuda a direcionar o conteúdo para que você tenha uma excelente experiência aqui no site. E compartilhe com seus amigos!

      Até breve!

 

imagem em destaque: Jovem fotógrafa via Shutterstock

 

Evite os 10 Erros Mais Comuns na Hora de Comprar uma Lente

Evite os 10 Erros Mais Comuns na Hora de Comprar uma Lente

Ah, as lentes! Objetos de desejo de muitos, principalmente quando estamos começando na fotografia e temos a impressão de que quantas mais tivermos, melhor! Olhamos para a lente do Kit com aquela sensação de que não passa de um peso de papel.

Acontece que pra quem adquire uma câmera com a lente 18-55mm, por exemplo, a mais comum em nossos Kits aqui no Brasil, e começa a estudar, logo percebe que o range (extensão em milímetros, do menor para o maior, que uma lente proporciona na variação da distância focal) pode ser um pouco frustrante, principalmente pra quem está migrando de uma câmera compacta ou uma superzoom. E mesmo a lente sendo excelente e possuindo uma ótima qualidade ótica, precisamos considerar que ela normalmente será usada em câmeras que possuem fator de corte, e por isso, acabam com um range curto, e deixando a desejar, ou pelo menos, a estranhar, as possibilidades de alcance.

E dependendo das possibilidades econômicas, a ideia mais comum é pensar em comprar outra lente! Só que neste ponto estamos sujeitos a cometer muitos erros, um após o outro, então se você está pensando em trocar de lente, independente da distância focal da sua, ou acabou de adquirir uma e não sabe muito bem se foi um bom negócio, este artigo é pra você. Se ainda não pensou em trocar de lente ou comprar outra, este artigo poderá ser muito útil um dia também 😉

 1. Ansiedade

GarotanaInternet

Garota na Internet via Shutterstock

 

Definitivamente não é uma boa conselheira na hora de comprar uma lente, afinal você precisa estar atento se você realmente precisa de uma nova lente e principalmente se precisa agora! Tenha em mente que lentes são ferramentas que poderão lhe ajudar a conquistar alguns tipos de fotografia mais específicos, ou pelo menos, facilitar a conquista deles, mas se acabou de comprar um equipamento novo, domine-o primeiro, e aí então parta para a escolha de uma nova lente, assim terá mais chances de conseguir fazer essa escolha com mais segurança.

 2. Comprar por Comprar

 

Adoraria poder dizer que uma lente melhor nos faz fotógrafos melhores… Na verdade nos torna um fotógrafo mais completo, capaz de cobrir mais situações, mas não nos garante melhores resultados, a não ser que você saiba exatamente o que está fazendo com aquela lente específica!

Quando vemos os anúncios nas revistas, na internet, todas parecem incríveis e lindas, mas é preciso muito cuidado pra essa nova lente não se tornar mais um peso na mochila, é vital resistir à tentação de ter mais uma “para a coleção”, e se aprofundar nas características de cada uma.

 3. Não entender o Comprimento Focal

 

Talvez este seja o erro mais comum quando estamos começando. É importante entender pra que serve o comprimento focal, quais as finalidade de cada um deles. Ouvimos falar que a lente 50mm 1.4 é incrível, mas o que realmente significa o 50mm?? É comum ouvir de alguém que possui uma lente 28-135mm, por exemplo, que precisa de uma lente 50mm para fazer retrato, mas a milimetragem 50 está dentro da lente 28-135mm. Se a necessidade é por causa da abertura, que influencia a profundidade de campo, ok, mas em termos de comprimento focal, não seria necessário!

A imagem abaixo mostra quais os comprimentos focais das lentes e o ângulo de visão alcançado que é justamente o que influencia mais no Estilo Fotográfico. Você vai poder perceber que elas se dividem em Super Grande Angular, Grande Angular, Normal, Teleobjetiva e Super Teleobjetiva. Distancia-focal

Tenha em mente que mesmo podendo fazer qualquer tipo de fotografia com qualquer lente, cada uma delas foi desenhada para um objetivo em particular. Mesmo que você possa fazer um retrato com uma lente grande angular, terá melhores resultados com uma objetiva mais curta como a 85mm, por exemplo.

Na imagem a seguir, criei um resumo de alguns objetivos pra você se orientar de acordo com o comprimento focal. Assim já tem uma ideia dos usos mais comuns e fica mais fácil entender para que serve cada um.

Distancia-focalPorEstiloFotográfico

Fique atento, apesar de serem mais indicados, não é uma regra inflexível, você pode fotografar uma paisagem com uma teleobjetiva como a 70-300mm, mas dificilmente você terá uma foto como esta aí debaixo, somente com uma grande angular 😉

© Atif Saeed

© Atif Saeed

 4. Não Fazer Uso Correto de Cada Lente

 

Para quem está iniciando é uma excelente ideia ter uma lente mais versátil, aquelas que possuem ranges maiores (mesmo que isso signifique menos qualidade ótica), visto que para perceber essa diferença leva algum tempo e um olhar mais treinado.

Lentes como a Canon 18-135mm, ou Nikon 18-105mm trarão mais conforto pra iniciantes porque não requerem troca de lentes emquanto se está fotografando, visto que elas pegam de um comprimento focal grande angular à meia-tele. Então se você decidir fazer um investimento em alguma lente mais específica, assegure-se de usá-la!!

É um erro muito comum, mesmo com uma 50mm 1.8 no case, vejo alguns fotógrafos perdendo excelentes oportunidades porque a troca de lentes é trabalhosa. Tenha disposição e faça o seu investimento valer a pena.

5. Não Saber o Estilo Fotográfico que quer

Fotógrafo

Fotógrafo Via Shutterstock

 

Mesmo sendo natural não saber no início da nossa jornada fotográfica exatamente qual o estilo fotográfico que queremos abraçar, se é retrato, paisagem, macro, esporte, fotografia noturna, pets, entre outros, é preciso testar os vários tipos antes de investir em mais uma lente. Com as lentes mais versáteis dá pra arriscar quase todos os estilos, mas com a 18-55mm, por exemplo, você terá dificuldades em fotografar a vida selvagem, ou simplesmente pássaros, já que o alcance de zoom é bem pequeno, mesmo com o fator de corte aplicado!

6. Não buscar fotos com as lentes pretendidas

 

Uma coisa simples de se fazer é conhecer os resultados fotográficos das lentes que queremos, pra isso podemos olhar os sites de reviews como o Dpreview, ou melhor ainda, o Flickr ou 500px. Muitos fotógrafos deixam o Exif das fotos disponíveis, permitindo você ter uma ideia do que pode conseguir.

7. Não Considerar outras Marcas

camera

Câmera via Shutterstock

 

A tendência é sempre olharmos lentes de acordo com a marca da nossa câmera, ou porque achamos que são melhores, ou porque não conhecemos bem outras marcas. Existem várias empresas que fabricam lentes para outras marcas, principalmente de câmeras Canon e Nikon e desde que sejam compatíveis com as suas câmeras, muitas oferecem lentes a um preço mais baixo, e para inciantes que querem testar outros ranges, pode ser uma excelente pedida! Essas são marcas conhecidas de outros fabricantes: Sigma, Tamron, Tokina, Zeiss  ou Samyang.

8. Não Considerar Lentes Usadas

 

Esse é outro erro bem comum, já que existem lentes de excelentes qualidades e que permanecem assim por uma vida! Eu mesma já tive uma Tokina que comprei usada e que me foi muuuito útil, e quando deixou ser, vendi pra outro fotógrafo que a usa há anos e está muito feliz!

Claro que como qualquer objeto usado, você precisará ficar atento à procedência, e de preferência testar a lente pra ver se está tudo nos conformes, botões, controle de foco, diafragma, etc. E considerar o custo x benefício. A grande vantagem é que lentes, se bem cuidadas, costumam ter uma vida útil incrível, ao contrário das câmeras fotográficas.

9. Não buscar informação sobre os tipos de lente

detalhes-de-lentes

Detalhes de Lentes Via Shutterstock

 

As lentes não se resumem ao comprimento focal, existem muitas outras características que podem ser determinantes para a sua escolha, além do tipo “macro”, “clara”, “fixa”, etc. E sim, pode ser muito confuso entender, por exemplo, aquela sopa de letras que vem escritas nelas. Aqui você encontra praticamente tudo o que elas querem dizer, é importante ficar atento a algumas dessas siglas, como estabilizador de imagens, se a lente é para uma câmera cropada ou full-frame, entre outras, mas não se preocupe, está tudo escrito nela!

10. Acreditar que o mais caro é o melhor

Dinheiro

Dinheiro Via Shutterstock

 

Como você já percebeu, uma lente para ser boa para você, é necessário o estudo de muitas características. O fato da lente ser cara, não significa que ela será útil na fotografia que está buscando, ou pior, talvez não seja a melhor opção dependendo da sua câmera. Por isso não se guie somente pelo valor quando pensar em qualidade, é importante ter em mente as dicas deste artigo, além de buscar a opinião de outros amigos fotógrafos.

Conclusão

Garota-Feliz

Garota Feliz Via Shutterstock

 

Todos esses erros são mais comuns do que podemos imaginar, e como já disse em outros artigos, lente é um investimento muito importante para nossa jornada fotográfica, é preciso estudar sua câmera ao máximo e depois partir para este investimento. Espero que com este artigo, você tenha mais elementos (sem trocadilhos) para trocar sua lente.

Então, você já passou por essas dúvidas? Lembra de algum outro erro que não está aqui? Não deixe de compartilhar sua opinião, é muito importante para nós.

Um grande abraço e até breve!

 

Imagem em destaque Fotógrafo segurando a câmera via Shutterstock

 

10 segredos para fotos mais nítidas

10 segredos para fotos mais nítidas

Para ter fotos de qualidade, precisamos que elas estejam nítidas, bem claras e visíveis, sem ruídos ou tremidas, com o foco ajustado. Iremos passar várias dicas para revelar alguns segredos de ter fotos da maneira que você desejou, basta ler nosso artigo e sair treinando por aí 😉

1º segredo: segurar firme

 

segure-firme_10-segredos-para-fotos-mais-nítidas

Se não quiser comprar um tripé nem apoiar a câmera em uma superfície plana, tudo bem, o segredo também é segurar firme, você precisa ter mão boa. Empunhe a câmera com a direita e segure a lente com a esquerda. Temos solução para tudo, você já percebeu 😉

Aqui também você ver melhor do que estou me referindo “Como Segurar uma Câmera e Tirar Fotos Mais Precisas”. O nome do artigo já é autoexplicativo, né?

Este definitivamente é um “segredo” que você deve investir bastante, talvez tenha sido o que mais me ajudou, já que nem sempre o uso do tripé é possível.

2º segredo: o tripé

 

Velho conhecido nosso, o tripé é o equipamento campeão para dar nitidez às fotografias, já que nem sempre é possível segurar com a firmeza necessária a nossa câmera. A foto fica nítida porque a câmera está estável, firme em uma superfície reta e segura. Com a câmera estável, o sensor dela não irá chacoalhar e você fará fotos como sempre desejou. Adquira um tripé caso deseje ser um fotógrafo profissional. Caso seja fotógrafo apenas por hobby, e não está em seus planos comprar um, sempre apoie sua câmera em algo plano, como uma cadeira, uma mesa ou o parapeito de uma janela, por exemplo.

tripé---10-segredos-para-fotos-mais-nítidas

Para comprar um tripé, escolha um que seja alto e de marca de qualidade, resistente e com regulagem fina de cabeça. Use e abuse do tripé para fotografar paisagens e objetos imóveis. Neste artigo aqui “tripés – dicas e usos” você pode conhecer um pouco melhor sobre este objeto muito útil.

Se você se perguntou qual seria o motivo pra não investir em um, te confesso que o tripé é um pouco como o guarda-chuva, ou seja, aquele objeto extremamente útil em algumas ocasiões, mas que carregar pode ser um problema, além da possibilidade de esquecê-lo, por isso escolha um de acordo com suas reais necessidades.

3º segredo: disparo automático

 

smart-trigger-10-segredos-para-fotos-mais-nítidas

Câmera firme, seja no tripé, na superfície plana ou em suas mãos treinadas, agora você precisará configurar o disparo para que ele dispare automaticamente. Se você for disparar manualmente, o disparador irá tremer, pois você empurrará a câmera para baixo, o que acontece é que dependendo da velocidade que esteja usando, o movimento não influenciará na qualidade, mas em velocidades mais baixas, como abaixo de 1/30, por exemplo, o menor movimento já influenciará na nitidez das fotos. Por isso, utilize um disparador remoto ou simplesmente programe o timer (ou temporizador) de seu equipamento .temporizador

Mas lembre-se de procurar um disparador de acordo com seu equipamento (câmera e modelo). Existem disparadores com cabo, sem fio, e ainda tem aplicativos para celulares que também conseguem disparar a câmera remotamente, no estilo do Bluetooth Smart Trigger.

4º segredo: lentes e filtros de qualidade

 

Você já percebeu que são vários segredos para a nitidez das fotos, por isso é importante, se possível, usá-los juntos ao máximo. A qualidade de lentes e filtros também influencia na nitidez das fotos e isso é bem perceptível. Você pode até fazer um teste, utilizando produtos de qualidade inferior e depois substituindo por produtos de boa qualidade: a nitidez muda e muito. E isso não vale somente para filtros e lentes, invista na qualidade de seus equipamentos também, não somente no aprendizado das técnicas.

Como vivemos em um país onde a maioria dos produtos de fotografia são importados, eu costumo dar a dica de sempre procurar o preço no país de origem para fazer a comparação. Às vezes você encontra, por exemplo, um filtro que lá fora custa U$2.00 (dois dólares) sendo vendido a R$200.00, o que pode te levar a acreditar que ele é bom porque é caro, mas na verdade ele só está sendo vendido caro por aqui. Isso vale pra tudo que é importado 😉

5º segredo: descobrindo a abertura mais nítida de sua lente

 

Toda lente de abertura variável, tem uma que é mais nítida que as outras e estou escrevendo um artigo explicando passo a passo como fazer este teste, eu mesma sempre fiz com todas as minhas lentes. Depois que descobrir a abertura mais nítida de sua lente, você fará fotos melhores e principalmente com mais segurança. Aguardem! Se preferir, se inscreva gratuitamente na nossa newsletter pra não perder o artigo.

UPDATE: Aprenda a fazer o teste no artigo “Como descobrir a abertura mais nítida de sua lente“.



6º segredo: limpeza

sensor---Artigo-10-segredos-para-fotos-mais-nítidas

Mantenha todo o seu equipamento limpo, bem como seus acessórios. É sério, equipamentos e acessórios livres de poeira e mofo fazem fotos mais nítidas. Para a limpeza do sensor são necessários alguns cuidados devido à sensibilidade, por isso, vale levar à assistência técnica para a limpeza. Existem alguns métodos disponíveis na internet na política do faça-você-mesmo, mas lembre-se que é algo muito arriscado porque algum arranhão no seu sensor, e já era!

Um amigo fotógrafo já limpou o sensor da minha câmera e ele usou um bastão de limpeza chamado “CCD SWAB”, fiz uma busca rápida aqui e achei vendendo no Ebay por U$9,65, e no mercado livre mexicano?! Por U$200.00, isso mesmo!!! Diferença exorbitante, né? Ah, se é tão arriscado, porque eu deixei ele fazer? Porque além de ter muita prática na limpeza, ele era rico, brincadeira, ele era confiável e costumava fazer nos próprias câmeras sem nunca ter tido problemas!

Mas não deixa de ser um procedimento arriscado…

Você percebe que seu sensor está sujo quando alguns pontos escuros começarem a aparecer no mesmo lugar em todas as fotos, como nesta aí debaixo. E é claro que existem outras soluções como usar a ferramenta “clone stamp” do Photoshop pra corrigir, aliás, o Lightroom tem até uma opção de fazer esta correção automaticamente onde você pode dizer para o programa que seu sensor está sujo, mas isso está mais para recuperar um trabalho onde você não havia percebido a sujeira, do que como solução definitiva. O ideal é limpar, ah, e já ia me esquecendo de dizer: É um procedimento arriscado!

Exemplo-de-sensor-sujo---Artigo-10-segredos-para-fotos-mais-nítidas

7º segredo: velocidade do obturador

 

Para fazer fotos nítidas com assuntos em movimento, ajuste a velocidade do obturador para valores altos. Isso porque, como já comentamos bastante por aqui, o assunto é congelado e você evita tremidas e borrões, tornando suas fotos nítidas e com foco. Você pode também fazer disparos contínuos, assim com certeza algumas fotos ficarão mais nítidas do que as outras, basta selecioná-las mais tarde.

Com pouca iluminação ou em ambientes completamente escuros, mesmo com a velocidade alta do obturador, para aumentar a nitidez você precisará de um tripé ou apoio firme.

Eu sei que pode até soar estranho dizer para usar velocidades mais altas em ambientes escuros, mas o quero dizer é pra você dar atenção a esta velocidade, às vezes estamos usando um ótimo flash, mas insistimos em usar velocidade muito baixa para garantir a quantidade de luz, quando na verdade, quem deverá garantir isso é o flash. Ou seja, faça testes e veja até aonde seu flash segura a situação pra você, como? Simples, em uma situação de pouca luz, use diferentes velocidades pra descobrir qual a mais alta que pode usar!

8º segredo: estabilizador de imagens

 

estabilizador---10-segredos-para-fotos-mais-nítidas

O estabilizador de imagens é um recurso presente em algumas câmeras, você deve procurar no manual da sua câmera para saber a disponibilidade ou não deste recurso e como programá-lo. Ele diminui as tremidas quando você segura a câmera. É útil para quem não utilizará tripé ou apoio para o equipamento. Portanto, mesmo segurando a câmera, com o auxílio de um estabilizador de imagens e com o disparo automático, suas fotos ficarão bem melhores. Ideal para fotografar festas, onde o uso do tripé não é aconselhável.

Mas é preciso ficar atento, o estabilizador de imagens precisa ser ótico, alguns fabricantes usam este termo, mas na verdade o que fazem é aumentar o ISO pra você poder fotografar com mais velocidade, aliás, se tiver dúvidas em relação à velocidade, abertura ou ISO, meu ebook “Fotometria simples – Você no controle da luz já está disponível na nossa loja e tenho certeza que você verá todos os artigos aqui do site com outros olhos!

Voltando ao estabilizador, este é outro artigo que acho que merece uma atenção especial, por isso publicarei um só com este assunto.

9º segredo: ISO

 

A sensibilidade ISO aparecendo de novo! Ajuste sua câmera para valores de ISO baixos, como 100, e veja a nitidez de suas fotos aumentar. Quanto maior o ISO, maiores serão as chances de ruídos na imagem. Você não é obrigado a manter o valor de ISO sempre em 100, vá aumentando o número e compare as fotos, assim saberá o limite máximo sem que haja perda de nitidez.

Mas lembre-se que o ISO sempre diminuirá a nitidez de suas fotos, mesmo em boas condições de luz, digo isso porque apesar de parecer um pouco esquisito falar de ISO alto em boas condições de luz, pode acontecer de você estar em um ambiente com o ISO alto e esquecer de diminuí-lo quando entrar em condições melhores, como fotografando em museus (nos que são permitidos, é claro) e quando saindo acabe compensando a fotometria com a velocidade e a abertura, por isso,  cuidado, diminua o ISO primeiro! E é evidente que estou usando o exemplo por experiência própria! 🙂

10º segredo: iluminação

 

Temos como último segredo a iluminação. Adquira um flash externo ou então alguma outra luz auxiliar. Quanto maior a iluminação no ambiente, mais nitidez suas fotos terão.

Eu aprendi nesses anos de fotografia que às vezes uma coisa que parece óbvia como este 10º segredo, muitas vezes pode ser a diferença de uma boa foto. Ficamos tão envolvidos com tantos detalhes na hora de fotografar que nos esquecemos do principal: Sempre procurar melhores condições de luminosidade!

Você reparou que os segredos são, em sua maioria, nossos velhos conhecidos não é? Basta um olhar diferente ou usá-los todos juntos para ter fotos mais nítidas.

E você? Conhece algum segredo que possa complementar estas informações? Compartilhe com agente aqui nos comentários!

       Até a próxima!

Assinatura Simxer - Autora do Foto Dicas Brasil